quarta-feira, 4 de janeiro de 2012

Hans Christian Andersen






UMA VIDA TRISTE COM FINAL FELIZ
Andersen nasceu em Odense,, na Dinamarca, a 2 de abril de 1805. seu pai era um sapateiro de condição humilde, mas tinha sonhos grandiosos. Um belo dia, resolveu realizá-los: alistou-se como soldado para lutar na guerra napoleônica. No entanto, seus projetos fracassaram: um ano mais tarde voltou gravemente doente à sua terra e morreu pouco depois. Com isso sua família Andersen, que já era pobre, ficou mais pobre ainda.
Quando sua mãe se casou novamente, o pequeno Hans Christian ficou abandonado e teve que se arranjar sozinho. Muito sensível e arredio, não conseguis se adaptar direito a nenhum oficio. Os estudos o atraiam, mas precisou abandoná-los, por falta de recurso. De qualquer forma, havia aprendido a ler e a escrever, o que lhe permitiu começar muito cedo a criar histórias curtas e pequenas peças teatrais.
Aos 14 anos de idade, Andersen era um rapazinho solitário,assustado com o mundo, sem muita idéia quanto ao rumo a tomar na vida. Nessa época,apresentou-se em Odense uma companhia teatral que percorria o interior da Dinamarca. Andersen não perdeu um espetáculo. Terminada a temporada, a companhia seguiu viagem, mas a decisão do jovem já estava tomada: ia partir também. Armado de uma carta de recomendação e de umas poucas moedas, tomou o caminho de Copenhague.
A capital dinamarquesa mostrou-se bem diferente do mundo com o qual sonhara. No ambiente teatral não encontrou ninguém que se dispusesse a ajudá-lo. Os atores e empresários que procurou não simpatizavam com sua aparência tímida e desajeitada. E o diretor do teatro Geral destruiu de vez as suas pretensões, dizendo-lhe que não havia oportunidades para um ator alto, magro e inexperiente como ele.
Os estudos de balé aos quais se dedicou em seguida também não conduziram a nada. Como bailarino, Andersen revelou-se uma negação, assinalando mais um fracasso na sua longa lista de insucessos.

IDADE DEMAIS, TAMANHO DEMAIS.
As repetidas decepções não abateram o animo de Andersen. Ao contrário, ele se sentia cada vez mais atraído pelo teatro e insistia em escrever peças. Duas delas chegaram as mãos de Jonas Collins, um conselheiro do estado, que obteve para o rapaz uma bolsa de estudos.
O período de seis anos que passou na escola de Slagelse foi o mais estável de sua vida até então. Mas nem por isso Andersem deixou de ter problemas; praticamente adulto, sentia-se constrangido entre os colegas bem mais jovens e muito menores que ele. A despeito do seu mal – estar, entretanto, aplicou-se aos estudos com empenho, completando a ducação que fora obrigado a interromper na infância. Ao deixar a escola tinha 22 anos.

O GOSTO BOM DO SUCESSO.
Para sair de uma crise financeira particularmente aguda Andersen escreveu algumas histórias infantis, baseadas no folclore dinamarquês. Pela primeira vez em sua vida, o resultado foi bom: os contos fizeram o sucesso.
Embora adulto,Andersen encarava o mundo pelo mesmo ângulo que as crianças, e por isso se exprimia numa linguagem ao mesmo tempo atraente e acessível ao espírito infantil. A riqueza de sua imaginação conseguia dar aspectos surpreendentes às coisas mais corriqueiras e permitia-lhe criar enredos encantadores a partir de um botão, uma colher, ou um soldadinho de chumbo.
Seus contos se divulgaram rapidamente dando-lhe finalmente a fama que ele procurara em vão durante tanto tempo. Tendo começado do nada, Andersen transformara-se numa personalidade aclamada em toda a Europa. Seus contos agora percorriam o mundo. Quando regressou ao seu país, vinha carregado de glória e sua chegada foi festejada pela Dinamarca inteira.
Após toda uma vida de luta contra a solidão, Andersen finalmente se viu cercado de amigos. E foi entre eles que morreu, em 1875, quando tinha setenta anos de idade.










CONTOS DE HANS CHRISTIAN ANDERSEN

A Princesa e a Ervilha
A Polegarzinha
O Fato novo do Imperador
O Firme soldado de chumbo
O Rouxinol
A Pastora e o limpa- chaminé
A Pequena Sereia
O Patinho Feio
A Família Feliz
O Duende da mercearia
Dança, dança, bonequinha
Uma rosa do campo de Homero
O Trigo mourisco.


Quem quiser saber mais sobre a vida desse grande escritor tem o acesso pelo site abaixo, mas só está no idioma inglês e dinamarquês. Agradecimentos ao site guida.querido.net
http://www.museum.odense.dk/e-museet/hc-andersen-samlinger.aspx

Marcadores:

0 Comentários:

Postar um comentário

Assinar Postar comentários [Atom]

Links para esta postagem:

Criar um link

<< Página inicial