quarta-feira, 11 de janeiro de 2012

O ESTRATAGEMA DE ÍSIS





O ESTRATAGEMA DE ÍSIS
Quem é esse velho miserável que se aproxima, andando com dificuldade, entrevado quase enfermo? É o Deus RÁ, poderoso senhor dos céus, pai e mestre do universo. Com efeito, o passar do tempo é inexorável. Tudo está condenado á velhice e á decrepitude, e nem mesmo o Deus Rá escapa a essa lei. Os deuses inquietos, percebem que a cada dia seu pai está mais senil. Até mesmo os homens reparam que o brilho do disco solar vai enfraquecendo sem cessar. O estado de Rá piora com o passar do tempo : seus membros vão ficando rígidos, seus ossos se convertem em prata. Pouco a pouco, seu corpo vai se transformando –se em ouro. Seus cabelos ficam lápis-lazúlis. Em breve, o sol não passará de uma massa condensada de minerais e metais preciosos. Além disso, precisa apoiar –se num bastão para conseguir caminhar. Que tristeza! Tal decadência atingir a maior de todas as divindades.
Esse deus todo poderoso (e velho acabado) teve numerosos filhos e netos. Entre eles Isis, grande maga, que tem quase tanta sabedoria quanto o avô. Não ignora nada a respeito do céu , da terra ou dos mundos subterrâneos. O único conhecimento que lhe falta é justamente aquele que lhe daria os imensos poderes de uma deusa de primeira grandeza: o verdadeiro nome de Rá o deus solar é designado por tantos e tão diversos nomes que não se sabe qual o verdadeiro. Ptá, Amon, Aton... Os homens e os deuses conhecem esses nomes e muitos outros. Mas, nas profundezas de seu ser, Rá esconde com cuidado seu único nome autêntico, aquele que ninguém jamais ouviu, e esse nome tem poderes mágicos que Ìsis cobiça. Ao ver Rá curvado sobre a bengala, ela resolve desvendar o mistério. Como no entanto, convenceria Rá a revelar seu segredo mais precioso? Sábia e astuta, a deusa acaba imaginando um estratagema.
A SERPENTE MÁGICA.
Todo dia , Rá caminha, com dificuldade, ao longo da mesma estrada. Escondida atrás de espessos arbustos, Ísis o vigia. De repente, o velho tosse e cospe, assim que ele se afasta, a maga corre ao local onde caiu a saliva divina e a transforma em pedra, misturando – a com terra. Daí a pouco, entre seus dedos, essa lama amassada toma a forma de uma serpente, que ganha vida por meio de palavras mágicas pronunciadas por Ísis. Em seguida, ela esconde o réptil na estrada pela qual Rá costuma passar. No dia seguinte, ao fazer seu passeio diário, Rá sente no pé uma dor aguda, que imediatamente se espalha pelo corpo todo, sem que ele tivesse ao menos vislumbrado a serpente que lhe mordeu. Rá sente o corpo queimar e, ao mesmo tempo , um frio glacial percorre suas veias. Um violento tremor sacode – o e o faz gritar.
¬¬¬¬¬¬¬¬¬¬¬¬¬- Que é isso? Que me aconteceu?
Ao ouvir seus gritos, todos os deuses acorrem. Rá explica que sente uma dor imensa, mas não sabe a origem. O grande Deus Sol consegue apenas lamentar sua impotência diante do mal que o aflige. É então que, destacando-se do circulo formado em torno de Rá pelas divindades aterrorizadas, Ísis avança
- Foi uma serpente, divino pai, que com seu poderoso veneno causou o mal que atormenta teu corpo.
Espera um instante e acrescenta:
- Revela - me teu verdadeiro nome e, com meus encantamentos, te livrarei da dor.
O velho deus está a ponto de desmaiar e se retorce no chão. Sofre, mas hesita. Embora não queira revelar o segredo, precisa dar uma resposta a Ísis. Desesperado, limita-se a enumerar os diversos nomes que todos conhecem:
- Sou Quéfri de manhã, Rá ao meio dia e Aton ao entardecer.
Ísis, no entanto. Não se deixa enganar e responde:
- Nenhum desses é teu verdadeiro nome! Dize a verdade, e minha magia pode livrar-te para sempre dessa dor.
Rá ainda hesita e resiste enquanto pode, mas a dor torna-se insuportável, e ele acaba cedendo. Contrariado, chama Ísis para junto de si:
- Vem cá! Vou derramar em teu coração o poder que está no meu nome. Ísis aproxima-se de Rá, que a leva para longe dos outros deuses. A contragosto, sussurra em seu ouvido o nome misterioso. Fortalecida pelo segredo, Ísis pronuncia as únicas palavras mágicas capazes de quebrar o encantamento. Imediatamente, Rá recupera a saúde. O grande deus fica muito aborrecido por ter sido obrigado a entregar a essência de seu poder, mas Ísis está feliz: acaba de transformar –se numa das maiores divindades, senão a mais poderosa de todas.

Marcadores:

0 Comentários:

Postar um comentário

Assinar Postar comentários [Atom]

Links para esta postagem:

Criar um link

<< Página inicial