quarta-feira, 30 de novembro de 2011

TRÂNSITO PASSADO - PRESENTE - FUTURO.



AUTOMÓVEL - SÉCULO XIX.

Londres, meados do século XIX. Um novo tipo de carruagem – sem cavalos – circula pelas ruas, provocando interesse e espanto. Movido a vapor, o ruidoso e curioso veiculo roda a notável velocidade de 10km por hora. Cem anos depois, esse calhambeque será peça de museu, crianças brincarão de monta-lo em miniatura. Mas o ancestral do automóvel – produto de engenho inventivo de muitos e muitos lugares – terá cumprido o sua função e o homem descoberto que não dependia só de animais para viajar e transportar coisas.










Não é difícil precisar o lugar, a data e a hora em que o primeiro avião levantou vôo; mas ninguém diria com segurança quando, onde e em que exato momento se pôs em marcha o primeiro automóvel. Pois é muito difícil traçar sua genealogia : o veiculo que se move por si mesmo não nasceu da genialidade de um homem ou de um grupo de homens concentrados em algum centro de pesquisas; é o resultado de buscas, ensaios, tentativas, provas e planos realizados por numerosos pioneiros, em tempos diferentes e em quase todos os países da Europa.
Os antecessores do automóvel são remotos que fatos históricos não comprovados praticamente se confundem. Só não há confusão quanto a um ponto: não fossem as duas grandes Revoluções Industriais, o automóvel não teria surgido.
A primeira, cujo período costuma ser delimitado entre 1760 e 1860, corresponde a maquinização e organização do trabalho em fábricas. Nasce a máquina a vapor, começa a desenvolver - se a Indústria do Ferro. Inova-se no setor dos transportes, com a adoção da máquina a vapor como fonte de energia. Tenta-se adaptar o vapor às diligências. Richard Trevithick constrói em 1803 um veiculo assim , o qual chega a percorrer 150 quilômetros nas estrada Londres – Plymouth. Mas outra idéia ganha corpo: é mais proveitoso usar a máquina a vapor para puxar uma fileira de carruagens sobre trilhos de ferro. A partir dessa idéia surgirá o trem.
A segunda Revolução Industrial, cujo inicio ocorre em torno de 1860, traz melhoramentos fundamentais para o futuro automóvel, entre eles o aperfeiçoamento do dínamo em 1873, a invenção do motos de combustão interna por Nikolau Otto em 1876. Dezenove anos depois, Edwin L. Drake perfura o primeiro poço de petróleo , na Pensilvânia, Estados Unidos. Aos poucos, novos usos serão descobertos para o produto, embora durante muitos anos a maior parte do liquido extraído seja destinada a fabricação de querosene para lampiões. É a aurora da era motorizada.

TRÂNSITO E CARROS SÉCULO XXI.

A eterna luta do homem contra o relógio desenrola-se nas estradas e nas ruas das cidades.
O homem conta, porém com uma arma: o veiculo – carro, caminhão ou ônibus – aperfeiçoamento dia a dia, a fim de que tenha maior capacidade de transporte e atinja maiores velocidades. A pressa universal envolve milhões de indivíduos que se utilizam de outros milhões de veículos. O campo onde se trava a batalha – ruas e avenidas, praças e estradas – exige um mediador: o transito.

Marcadores:

0 Comentários:

Postar um comentário

Assinar Postar comentários [Atom]

Links para esta postagem:

Criar um link

<< Página inicial